Você tem um seio maior que o outro?

Olá meninas, tudo bem?

O assunto de hoje é bem interessante para quem tem dúvidas de como funciona o nosso corpo e  as diferenças que temos.  Por muitas vezes nos pegamos reclamando porque um pé é mais gordinho que o outro, ou que um seio é maior que o outro. Não é verdade?
Então para tirar essa dúvida fiz uma pesquisa e encontrei no site da Yahoo uma grande ajuda.  Vamos lá?

Talvez você já tenha reparado nas diferenças do nosso corpo. Um lado nunca é igual a outro e cada lado do nosso corpo tem suas diferenças, que muita das vezes chegam a ser imperceptíveis. Mas o que fazer quando essas diferenças são visíveis, e numa região um tanto quanto intima, como os seios?
Muitas mulheres tem sofrido com esse problema, em que um seio chega a ser bem maior do que o outro, o que por vezes prejudica até a autoestima. "As diferenças mais visíveis dos seios podem ocorrer por vários motivos, como causa genética, hormonal, gestacional, amamentação, síndromes e traumas, queimaduras, ou até obesidade e cirurgias. Geralmente, a melhor forma para corrigir assimetrias maiores é com intervenção cirúrgica, e apenas um médico pode avaliar o caso", comenta o cirurgião plástico Luis Pinotti. Tratamentos a base de hormônios e cremes que vemos por aí, na verdade, não tem funcionalidade nenhuma nesses casos.
"A cirurgia plástica pode ser feita para reduzir o tamanho do seio, aumentar, e pode também apenas elevar os seios, caso seja esse o maior problema, mantendo o mesmo tamanho. Há muitos procedimentos cirúrgicos para melhorar a assimetria". diz ele.
Entretanto segundo o médico, casos de assimetrias e diferenças muito grandes em que são necessárias intervenções cirúrgicas, são observadas em menos de 30% das mulheres, pois a grande maioria tem o seio de 90 a 95% parecido.
Quem está em fase de amamentação pode ficar tranquila, pois segundo o Luis Pinotti, a assimetria dos seios não atrapalha em nada. "Uma gestação aumenta os seios porque há um aumento da glândula mamária e do leite materno, que geralmente permanece maior no periodo da amamentação. Após esse período o seio reduz, voltando ao seu tamanho natural e apenas na minoria dos casos, algumas mulheres permanecem com os seios grandes". Portanto, a assimetria nos seios não causa nenhum problema na amamentação.
O médico conta também um pouco sobre a Síndrome de Poland. "Esta é uma patologia que afeta o sexo masculino e feminino e é caracterizada pela ausência completa e incompleta de seio e músculo de um lado do tórax. Existem casos em que a criança nasce até com os dedos grudados, e sobre esta causa, há necessidade de um acompanhamento médico e maiores estudos sobre o caso".
Portanto os procedimentos mais indicados pelo médico é "avaliar o estado psicologico da mulher, entender o quanto essa diferença a incomoda, e respeitar também os prazos de idade e saúde, para realizar uma cirurgia com sucesso". O mais indicado é sempre procurar um médico de confiança.

Se você se acha que o texto foi de grande ajuda para sua vida, e se você tem interesse em saber muito mais sobre saúde é só curti a minha página nessa caixinha que fica logo abaixo. Um super beijo e até o proximo post.

No comments

Powered by Blogger.